As doenças diarreicas agudas (EDAS) aumentam 30% na estação de chuva e calor, pelo que devem ser exercidas precauções de higiene dietética para evitar complicações ou, em casos extremos, morte, alertaram especialistas.

O membro do Conselho de Medicina Interna e do Conselho Mexicano de Gastrenterologia, Jonathan Aguirre Valadez, explicou que estas doenças são uma das primeiras causas de consulta médica. O seu principal sintoma é o líquido e os constantes movimentos intestinais, com ou sem sangue, três ou mais vezes por dia.

“A sua evolução pode causar desidratação e complicações graves. Os grupos mais vulneráveis são as crianças e os idosos; de facto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) salienta que são a segunda principal causa de morte em crianças com menos de cinco anos”, afirmou em comunicado.

Acrescentou que a diarreia é um sintoma de infeção do aparelho digestivo, que pode ser devido a vírus, bactérias ou parasitas transmitidos pelo consumo de alimentos ou água contaminados, ou através da rota fecal-oral, e cuja incidência é maior em climas quentes húmidos.

O seu tratamento depende da origem e gravidade da diarreia; no entanto, inclui alguns medicamentos para combater sintomas ou agente infecioso, ações de higiene dietética, tais como lavagem frequente das mãos, bem como reidratação do soro oral de grau médico.

Com todo o respeito, o especialista em Nutrição Clínica pelo Instituto Politécnico Nacional (IPN), Guadalupe Montes Casillas, observou que nem todas as soluções disponíveis no mercado cumprem os requisitos para serem consideradas soros orais de qualidade médica.

“Um verdadeiro soro oral rehidratante tem no seu rótulo o registo perante o Ministério da Saúde, a autorização da Comissão Federal para a Proteção contra Riscos para a Saúde (Cofepris) e o detalhe da sua fórmula”, sublinhou.

Durante a semana epidemiológica 20, que oscila entre 10 e 16 de maio, a entidade federal com maior incidência de EEAs em crianças com menos de cinco anos foi Zacatecas, de acordo com a Direção-Geral de Epidemiologia (DGE) do Ministério da Saúde.

Enquanto os cinco estados que mostraram um aumento no número de casos em comparação com a semana anterior foram Tlaxcala, Campeche, Chiapas, Chihuahua e Querétaro.

Por fim, Montes Casilla recomendou a bebida de água purificada, fervida ou clorada; lavar e desinfetar frutas e produtos hortícolas; carnes de cozedura ou de fritar, aves de capoeira, peixe e frutos do mar; refrigerar alimentos; verifique as datas de validade e não consuma alimentos na via pública para evitar estas doenças.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *